Tendências da computação em nuvem para 2018

jan 4

Tendências da computação em nuvem para 2018

O ano de 2017 foi muito importante para o mundo da Computação em Nuvem e para a Ustore (relembre aqui o post sobre os nossos melhores momentos no ano), o que se refletiu nas projeções para os negócios de TI em 2018. A IDC (International Data Corporation), importante instituto de análise de mercado, previu que o mercado de Cloud Computing (pública, privada e híbrida) superará a marca de US$ 200 bilhões durante o ano de 2018.

Em termos práticos, é provável que mais da metade da população mundial esteja usando a nuvem, tanto para arquivos pessoais, como para corporativos. A ONU ratificou essa ideia, elaborando um estudo que mostra que em 2018 haverá 7,6 bilhões de pessoas no mundo, e dentre elas, 53% terá acesso a algum serviço de armazenamento em nuvem. Segundo o órgão, esse número é resultado do amadurecimento das empresas, confiando nos benefícios que a Cloud oferece.  Os consumidores agora usam diversos dispositivos ao mesmo tempo, como smartphones, notebooks, computadores, tablets, e precisam de um espaço não físico para armazenar seus dados.

Confira também:  Ustore firma acordo de cooperação com RNP durante Fórum RNP 2017

TENDÊNCIAS PARA NUVEM

Um estudo feito pela Cisco prevê algumas tendências para a nuvem em 2018, baseado na evolução do uso de soluções que ocorreu nesse ano, tais como soluções de nuvem privada, centros de dados em nuvem, plataforma de nuvem como serviço e infraestrutura como um serviço. São elas: 

– Os centros de dados em nuvem processarão 78% da carga de trabalho, enquanto os restantes 22% serão tratados pelos centros de dados tradicionais.

– Espera-se que os centros de nuvem pública tenham 31% de carga de trabalho na nuvem, enquanto os centros de dados da nuvem privada deverão ter 69%.

– A carga de trabalho em nuvem de software-como-serviço (SaaS) crescerá 59%.

– As despesas com nuvem pública devem duplicar. 

MULTICLOUD E CLOUD SERVICE MANAGEMENT

Além dos pontos citados, vale destacar um modelo de nuvem que cresce cada vez mais: a MultiCloud (já comparamos ela com a nuvem híbrida, clique aqui para ver). Em 2018, essa estratégia de computação em nuvem tende a crescer ainda mais, já que oferece uma integração dos serviços em nuvem de diferentes provedores. Dificilmente um único provedor consegue suprir toda a demanda de uma empresa. O modelo propõe que a empresa selecione o serviço que contemple a necessidade específica de cada negócio, reduzindo a dependência de uma só via.

 

Confira também:  E-commerce: 3 vantagens de utilizar a nuvem na sua loja virtual

Outra tendência para 2018 é a concretização dos profissionais de Cloud Service Management, que, com ambientes de TI cada vez mais complexos e interconectados, tornam-se peças-chave. A função desses profissionais é a de gerenciar serviços em ambientes de nuvem, com o conhecimento especializado para potencializar as oportunidades que a Cloud oferece.

 

No final de 2016, também listamos tendências para Cloud Computing em 2017. Clique aqui para vê-las e vejam se foram concretizadas! Tem alguma pauta relacionada a computação em nuvem que te interesse e nós ainda não tratamos? Mande sua sugestão via Facebook que prepararemos um artigo relevante sobre o tema!