Multicloud Provisionamento e Gestão de Ambientes Híbridos

nov 28

Multicloud Provisionamento e Gestão de Ambientes Híbridos

A nuvem deixou de ser tendência e se tornou realidade nas empresas brasileiras. Assim como em outros países, a abordagem preferida pelas empresas por é a chamada multicloud, isto é, uso de serviços com mais de um fornecedor, conforme as demandas gerais do negócio ou de cada um dos seus departamentos. Arquiteturas de TI desse tipo, combinando melhor custo e capacidade de diferentes nuvens, representam um grande percentual dos ambientes tecnológicos das empresas nos próximos anos. Trabalhar com diversos modelos de nuvem tem aumentado a complexidade das estratégias de gerenciamento nas empresas. Saber como resolver esse desafio é essencial.

A nuvem fornece uma forma simples e segura para se acessar e gerenciar dados e arquivos e, após a transformação digital, em que as empresas estão na corrida para se aprimorar e adotar as novas tecnologias do mercado, o ambiente virtual tem se tornado parte essencial das estratégias de negócios. Muitas empresas optam por combinar serviços em ambientes híbridos e usam nuvens públicas, privadas e, também, infraestruturas locais. Devido a essa complexidade de ambientes, tem se tornado essencial que a TI assuma o papel de implementar uma estratégia de gerenciamento abrangente de Cloud Computing.

1.    Armazenamento em Nuvem

A computação em nuvem é a solução encontrada por muitas empresas para alavancar os negócios, que nada mais é do que um servidor virtual que oferece recursos computacionais que operam de maneira isolada e independente. Quando se fala em computação nas nuvens, fala-se na possibilidade de acessar arquivos e executar diferentes tarefas pela internet, isto é, não necessita da instalação de aplicativos para acessar diferentes serviços online para acessar o que precisa, uma vez que os dados não se encontram em um computador específico, mas sim em uma rede.

Quando se fala de nuvem é comum pensar que a ferramenta serve apenas para hospedar sites, esse de fato é o uso principal da nuvem na web, mas ela comporta uma gama de aplicativos muito mais ampla. A tecnologia de armazenamento em nuvem é muito mais fácil, acessível e de baixo custo do que se imagina. A nuvem oferece um controle de custos importante, dá previsibilidade das despesas que se terá no final do mês, permitindo controlar melhor os gastos.

2.    Gerenciamento de Clouds

Diversos requisitos devem ser considerados em um bom gerenciamento, como custos, planejamento de capacidade e segurança. Por isso, é importante utilizar ferramentas com multifuncionalidades que sejam capazes de aplicar políticas e automatizar e orquestrar serviços em todos os ambientes. O monitoramento de dados e workloads são requisitos essenciais de uma estratégia bem sucedida de multicloud, pois, sem uma gestão adequada do grande volume de informações que as empresas possuem atualmente, o ambiente pode acabar gerando mais gastos e riscos aos negócios.

Ao escolher as ferramentas que mais se adequam às necessidades da empresa, é necessário levar em consideração 05 pontos para maximizar os benefícios de um ambiente multicloud:

  • VISIBILIDADE DE DADOS

Por meio da nuvem, todos os colaboradores de uma empresa conseguem acessar facilmente os dados corporativos. Devido a isso, é importante reforçar a proteção e controlar os acessos dos usuários, atendendo aos requisitos de conformidade em relação ao armazenamento e gerenciamento de suas informações. Definir uma visibilidade dos dados é o primeiro passo para torná-los acessíveis em todo o ambiente virtual e ainda atender à conformidade sem que a corporação passe por algum risco na segurança;

  • PORTABILIDADE DE DADOS

Indisponibilidades na nuvem acontecem e as empresas precisam estar preparadas. Por isso, ao criar uma estratégia de multicloud, é necessário incluir a capacidade de migrar dados para a nuvem escolhida e, ainda, a capacidade de transportar as informações para outra plataforma, mesmo que seja dentro do próprio Data Center;

  • RECURSOS DE ARMAZENAMENTO DEFINIDO POR SOFTWARE 

O grande volume de dados novos gerados pela internet das coisas (IoT) implica em maiores gastos e dificuldade de atender as necessidades de armazenamento e análise. Essa tarefa se torna ainda mais complexa quando as informações estão em múltiplos ambientes na nuvem que possuem requisitos e protocolos de conexão diferentes. Ao utilizar recursos SDS (Software-Defined Storage) para estender o armazenamento para várias nuvens é possível que a empresa otimize seu desempenho e os gastos de Storage. O SDS potencializa o provisionamento dos recursos de armazenamento na nuvem e fornece uma forma segura de gerenciar os custos com as implementações nas nuvens;

  • QUESTÕES DE CONFORMIDADE

As obrigações e regulamentações para estar em conformidade tem se tornado cada dia mais complexas e rigorosas. Sem uma política de dados documentada, o processo fica ainda mais complexo devido ao ambiente fragmentado em múltiplas nuvens. Por isso, as empresas precisam transformar sua rotina de trabalho, adotando medidas de auditorias e regulamentações legais reforçadas;

  • PROTEÇÃO DE DADOS

Muitas empresas ainda acreditam na ideia de que a redundância existente na nuvem é suficiente para proteger suas informações e acabam não se preocupando com backups e recuperação de dados virtuais. Além disso, muitas vezes, utilizam ferramentas diferentes de proteção em cada nuvem, o que também não é adequado para esses ambientes. Por isso para contar com uma proteção efetiva dos dados, as corporações precisam garantir a confiabilidade, desempenho e disponibilidade por meio de uma estratégia de proteção abrangente ao invés de utilizar diferentes produtos pontuais para atender diferentes aspectos. Muitas empresas estão optando por trabalhar com infraestruturas de multicloud, entretanto, para poderem aproveitar todos os benefícios de cada plataforma é necessário contar com uma equipe preparada, além de ferramentas de gerenciamento eficientes e uma estratégia direcionada a esse tipo de ambiente. Apenas assim, será possível que elas consigam atender às novas demandas do mercado, ao mesmo tempo em que reduzem custos e riscos.

3.    Cloud Service Brokers

Não é simples montar esses ambientes heterogêneos de forma que o negócio explore o máximo dos seus benefícios, mantendo controle sobre o orçamento e desempenho. Prova disso, segundo é o número crescente de empresas que buscam intermediadores, também conhecidos como cloud brokers, que possam ajudá-las a traçar a melhor jornada para a nuvem.

Trata-se de um dos segmentos de serviço que mais crescem no Brasil e no mundo. Alguns provedores atuam em todas as etapas, desde o planejamento até a gestão do ambiente de TI, passando pela escolha de outras nuvens, se a própria não atender a algum objetivo específico do cliente. Eles também assumem o processo de migração. É uma mão na roda tanto para empresas que estão insatisfeitas com a gestão de sua nuvem quanto para as que desejam apostar no modelo, mas tem dúvidas sobre qual a melhor abordagem. De fato, entre as organizações que possuem alguma aplicação na Cloud, a maioria ainda tem dúvidas sobre quais processos de negócio devem migrar, para qual tipo de nuvem e de qual fornecedor.

Com um broker, em especial aqueles que atuam como integradores e fornecedores de nuvem e soluções de TI fim a fim, as empresas conseguem uma estratégia personalizada e contam com profissionais especializados para garantir o funcionamento otimizado e a atualização permanente do ambiente.

4.    Multicloud e os Serviços em Fatura Única

Um atrativo da computação em nuvem é a eliminação do chamado lock-in, que ocorre quando a organização fica presa a um só provedor porque a mudança implica custos muito alto, ainda que um único parceiro assuma a responsabilidade pela gestão e desempenho do processamento multicloud. Se a organização precisa de facilidade que só existe em outro lugar do mundo, o fornecedor conecta a própria nuvem a essa outra Cloud, e isso é transparente para o cliente.

Como benefício destaca-se a redução significativa de despesas administrativas da companhia. Os serviços que as empresas podem contratar incluem diagnóstico da sua TI, com avaliação das cargas de trabalho que devem ficar ou ir para a nuvem. Essa fase inclui levantamento de possíveis riscos dessa movimentação e culmina em um plano customizado para ajustes na arquitetura atual e migração para uma ou mais nuvens, de qualquer fornecedor que tenha o recurso mais adequado para a necessidade do negócio. Feita a migração, as rotinas administrativas, como criação de servidores, instalação de bancos de dados e criação de usuários passam para as mãos do gerenciador. Usando melhores práticas de DevOps, uma cultura de otimização de recursos, ele cuida da monitoração do ambiente, garantindo que o negócio tenha mais ou menos recursos computacionais, de forma automatizada.

Uma empresa que, em determinado período, venha a receber um grande volume de acessos ao seu site devido a uma ação esporádica, por exemplo, pode rapidamente distribuir cargas de trabalho entre milhares de servidores. A arquitetura pode se autoescalar conforme métricas predefinidas e é diminuída quando os acessos se normalizam. A empresa paga os recursos excedentes somente pelo tempo que os utilizou A companhia também fica apta a acompanhar, em tempo real, o orçamento individual de cada departamento. Com isso, consegue combater a chamada shadow IT, que ocorre quando áreas internas compram serviços de nuvem sem o conhecimento da TI.

Outro benefício é a fatura unificada. Não importa onde estejam as nuvens, a cobrança será uma só, em reais. Outras vantagens da administração unificada são:

  • Migração planejada e com menos riscos;
  • Movimentação livre de cargas de trabalho entre nuvens;
  • Fatura unificada em reais e controle de orçamentos por área;
  • Alteração, criação e remoção de ambientes de nuvem com rapidez e segurança.

5.    Multicloud: O melhor da Nuvem Privada da Nuvem Pública

O modelo multicloud é o que melhor atende às necessidades das empresas de todos os portes e segmentos. A nuvem híbrida mescla o que há de melhor nas nuvens públicas (escalabilidade e custos baixos) e privadas (controle interno de dados extremamente sensíveis, como transações financeiras, por exemplo), oferecendo ganho tecnológico aos negócios. Também quando a empresa precisa ganhar escalabilidade devido ao crescimento do negócio, uma multicloud é a melhor solução. Assim, utilizam-se as soluções e equipamentos já existentes para montar uma nuvem privada e uma nuvem pública para obter os recursos de que a empresa não dispõe.

Ao permitir que as cargas de trabalho se desloquem entre nuvens privadas e públicas, uma multicloud dá às empresas mais opções de implantação de dados e maior flexibilidade. A multicloud é particularmente valiosa para cargas de trabalho dinâmicas ou altamente mutáveis. Por exemplo, um sistema de entrada de pedidos que experimenta altas de demandas significativas durante um determinado período do mês é um bom candidato a ser armazenado num ambiente multicloud. O aplicativo pode ser executado em nuvem privada, pode acessar recursos de computação adicionais a partir de uma nuvem pública quando necessário. A ponte entre os recursos da nuvem privada e da pública exige a implementação de uma nuvem híbrida.

6.    A Preparação para o Modelo Multicloud

Nem todas as empresas que utilizam algum serviço de cloud pública e privada tem uma multicloud. Ao invés disso, este tipo de a nuvem é um ambiente onde os serviços públicos e privados são utilizados em conjunto para criar valor ao negócio.

Além de conhecer as necessidades, portanto, é preciso entender como esta junção ajudará o negócio e a disponibilização do auxílio de um bom provedor de serviços de cloud. Nesse sentido, é preciso avaliar não somente as capacidades técnicas, mas também a reputação do fornecedor, sua imagem no mercado e os clientes que ele já atende.

Mais do que adquirir um serviço de multicloud, é preciso que tanto a TI quanto as outras áreas de negócio estejam prontas para a mudança de abordagem e adequações à mudança. Como tudo que gera transformações, estamos falando de alterações na cultura organizacional em relação a este serviço imprescindível.

 

Confira também:  Trabalhar onde e quando quiser

Fonte: Channel 360°

Autor: Lenildo Morais, Gerente de Projetos da Ustore